Newsletter

Cadastre-se para receber dicas de Marketing Digital

Webwriting: Como escrever textos irresistíveis para converter


webwriting

A internet trouxe novos desafios aos redatores, por se tratar de um ambiente em que a interação do usuário manda.

Com isso, surgiu o chamado webwriting: o conjunto de técnicas de escrita para a internet. Ele tem por base, essencialmente, o copywriting, o SEO (search engine optmization) e o UX (user experience).

Ficou confuso com todos esses termos? Calma, nós iremos te ajudar! Vamos explicar a definição de cada um deles e como eles influenciam na tomada de decisão do usuário. Ou seja, como eles levam um usuário a converter (realizar a ação desejada).

O que é copywriting e como ele se aplica no webwriting

Antes de entender como o copywriting se aplica no webwriting, é importante que você entenda do que se trata o copywriting.

O copywriting se trata da metodologia utilizada para levar um usuário a realizar uma ação por meio de um texto. Essa ação pode ser um download, uma adição ao carrinho de compras, uma compra, etc. Para fazer com que o usuário de fato realize essa ação, o copywriting estabeleceu algumas características (também chamadas de gatilhos mentais) que um texto convincente pode ter:

Urgência/escassez

O gatilho da urgência ou escassez parte do princípio de que o leitor deve ser convencido a comprar algo que está acabando ou que tem uma data limite para ser adquirido. Cria-se um senso de urgência sobre algo escasso.

Há muitos exemplos de como utilizar esse gatilho de urgência ou escassez. É possível utilizar, por exemplo, frases como “desconto só até amanhã” ou “últimas vagas disponíveis”.

É possível utilizar esse gatilho em praticamente todos os canais da web. Em um artigo, você pode usar, por exemplo “O único artigo preciso sobre X assunto”. Isso cria um senso de escassez que chama bastante a atenção do leitor.

Autoridade

Você muito provavelmente já deve ter visto um daqueles anúncios de cremes dentais que dizem algo como “a mais recomendada pelos dentistas”. Esse é um exemplo bem claro do uso do gatilho de autoridade.

O gatilho de autoridade consiste, basicamente, em convencer alguém a consumir um produto ou serviço porque uma autoridade no assunto o recomenda.

Na internet, é possível utilizar esse recurso de diversas formas. A mais comum e uma das mais recomendadas, porém, é por meio do Marketing de Conteúdo. Com ele, no lugar de utilizar terceiros como uma autoridade, você mesmo procura ser a autoridade no assunto.

Assim, com materiais como artigos de blog, ebooks, webinars, etc, sua empresa procura trazer conteúdos relevantes sobre os temas relacionados à sua área de atuação.

Prova Social

E sabe quando uma propaganda mostra um testemunho de alguém que já usou um determinado produto ou serviço? Então, isso é um exemplo do uso do gatilho de prova social.

Esse gatilho consiste no uso de informações de terceiros sobre o consumo de determinado produto ou serviço. Na web, é possível fazer uso desse gatilho de formas bastante eficientes. É recomendado, por exemplo, colocar avaliações de clientes no seu site entre aspas, com fotos reais dos mesmos ao lado. Outro exemplo de prova social é, ainda, a divulgação do número de vendas de um produto.

Depoimento - Webwriting

Afinidade

Para convencer alguém a fazer algo, empatia é fundamental. Com vendas, ocorre o mesmo. Se você demonstra que tinha o mesmo problema que o consumidor e conseguiu resolvê-lo, por exemplo, você cria empatia e uma conexão com ele. O cliente em potencial se sente compreendido e por crer que você “passou pelo mesmo”, as chances de ele acreditar em você são maiores.

Na internet, você pode utilizar o recurso da afinidade com o uso de influenciadores digitais, por exemplo.

Razão

Deixar claro qual benefício será obtido com a aquisição de determinado produto ou serviço é uma forma bastante eficiente de vender. Essa é a definição do gatilho da razão.

Com o Marketing de Conteúdo na web, é fácil utilizar esse gatilho. É possível, com ele, educar uma audiência sobre as vantagens de um produto ou serviço com diferentes tipos de materiais.

Baixar E-book: Landing Pages na Prática

Uma das formas de facilitar a conversão é através das Landing Pages. Confira cases de sucesso!

Ebook: Landing pages na prática

O SEO nos textos para web

Para levar alguém a realizar uma ação, é preciso ser visto por esse alguém. Por esta razão, estar bem posicionado nos resultados de busca do Google é fundamental. Utilizando técnicas de SEO, isso é possível. O SEO é definido como o conjunto de práticas que otimizam páginas da web para ranquear melhor nos sites de pesquisa.

Ao escrever um texto para um blog, você pode utilizar essas técnicas para que ele seja mais facilmente encontrado por quem se interessa pelo seu conteúdo.

A escolha da palavra-chave

Ao escrever um texto para web com o objetivo de ranqueá-lo bem no Google, é preciso determinar, em primeiro lugar, uma palavra-chave para o conteúdo a ser escrito.

Caso você já saiba o tema que procura abordar, você pode utilizar uma ferramenta de busca de palavras-chave (como o SEMRush ou o Keyword Planner) para verificar o volume de buscas sobre um determinado termo relacionado.

Uma boa dica é selecionar uma palavra que tenha um bom volume de buscas, mas mais do que isso, é fundamental selecionar uma palavra que seja relevante para o público que você quer atingir. Há ainda outros fatores importantes a serem avaliados nessa escolha, como a dificuldade de ranqueamento e o nível de concorrência da palavra-chave. Nas ferramentas de SEO, é possível verificar esses e diversos outros fatores sobre as palavras-chave.

SEO - Webwriting

A escrita de um texto com foco em SEO

Após determinada a palavra-chave, deve-se escrever o texto de forma a utilizá-la em diversos lugares ao longo do conteúdo. Para melhor ranqueamento dessa determinada palavra-chave no Google, há algumas recomendações sobre seu uso no texto. São algumas delas: utilizar a palavra-chave no título (H1) e em um subtítulo (H2, H3, etc); repetir a palavra-chave ao longo do texto de forma natural; utilizar a palavra-chave nos títulos e nomes das imagens; utilizar a palavra chave no SEO Title e na Metadescription.

Outros fatores de SEO em um texto

Há ainda outros fatores dentro de um texto que o ajudam a ranqueá-lo melhor nas páginas de resultados de busca. Alguns dos principais são: utilização de links internos e externos; qualidade do conteúdo; utilização de textos alternativos (alt tag) em imagens; etc.

São muitos os fatores de SEO. Esses são apenas alguns deles, que dizem respeito ao conteúdo de forma mais direta. Você pode ler mais sobre o assunto em alguns outros artigos do nosso blog e outros sites sobre Marketing Digital, como o Marketing de Conteúdo da Rock Content, o blog da Resultados Digitais e o site do Neil Patel (especialista em SEO).

O UX e o webwriting

A experiência do usuário é um dos fatores mais importantes no meio digital. Com os textos, isso não é diferente. Com técnicas de UX, é possível escrever um texto amigável para o potencial cliente. O UX (sigla para user experience) se define como a metodologia utilizada para que o usuário tenha a melhor experiência possível em diferentes interfaces (e os textos se incluem nisso).

Nos textos, uma boa dica de estratégia de UX aplicada à webwriting é escrever de forma clara e concisa. Outra boa recomendação, ainda, é evitar palavras relacionadas a sentimentos negativos. Além disso, é importante também escrever frases curtas. Divida sentenças longas em duas, ou mesmo três. Ademais, procure ser prático e objetivo e resolva o problema da sua audiência.

Além das estratégias relacionadas ao texto em si, é possível também utilizar técnicas de UX que dizem respeito à aparência do texto. São algumas delas: a legibilidade; a utilização de espaços em branco para “respiro”; uso de alinhamento à esquerda; o tamanho das caixas de texto, que não devem ser nem muito grandes nem muito pequenas.

Webwriting: SEO, UX e copywriting juntos

Se você reparar bem, as estratégias de SEO, UX e copywriting se complementam. Todas essas metodologias dizem respeito ao foco na sua persona. Você deve ser encontrado por quem te procura com técnicas de SEO. Com UX, você cria um texto amigável ao seu potencial cliente. E com copywriting, é possível convencer essa persona a realizar uma determinada ação, por meio de argumentos que fazem sentido para ela.

Assim, com as três técnicas juntas, fica muito mais fácil levar um determinado usuário à conversão. É importante avaliar, em cada momento, qual o contexto em que se encontra a persona para tomar as melhores decisões com as metodologias por trás do webwriting.

 

E aí, gostou? Então assine já nossa newsletter e confira mais conteúdos como esse!

 

 

#Webwriting


Você também pode gostar de ler:

Leads qualificados

4 dicas valiosas para estratégias de geração de leads qualificados

Mensurando para crescer: como os principais anunciantes estão mudando a estratégia com 3 tendências-chave

Buyer Persona: o que é e como criar personas

Buyer Persona: o que é e como criar personas