Como aumentar as vendas pela internet?


Como aumentar as vendas pela internet com Marketing Digital

Você tem um site e não sabe o que fazer para aumentar as vendas através dele? Saiba como o SEO pode contribuir para melhorar esse cenário.

Neste mundo conectado de hoje, muitas organizações se perguntam: o que fazer para conseguir aumentar as vendas pela internet? O primeiro passo, claro, é ter uma presença digital. Empresas que não estão online deixam de alcançar um público valioso, que busca ativamente pelos produtos e serviços que desejam adquirir. A forma mais comum de estabelecer uma presença online é através de um site, seja ele um site institucional, site catálogo ou loja virtual. Com qualquer uma dessas opções, é possível aumentar as vendas vindas pela internet, cada uma à sua maneira.

Mas o que realmente importa é que esse site seja feito em uma plataforma que possa ser otimizada para os mecanismos de busca. Assim, o site terá os requisitos técnicos corretos para ser encontrado facilmente pelos usuários. Quando falo em otimização para mecanismos de buscas, estou me referindo às estratégias de SEO – Search Engine Optimization. Traduzindo, quer dizer Otimização para Mecanismos de Busca.

Mas o que é SEO e como ele pode me ajudar a aumentar as vendas pela internet?

O SEO é um conjunto de estratégias que visam atrair mais visitas e conversões para um site. O principal objetivo é conquistar posições na famosa busca orgânica, ou seja, não paga.

Busca Paga x Busca Orgânica

Mas que para isso aconteça, é necessário um ótimo conhecimento em desenvolvimento web (criação de sites ou aplicativos) e planejamento de conteúdo. Ou seja, é preciso pensar tanto no funcionamento dos mecanismos de busca, quanto na experiência do usuário. Quando um desses quesitos não é atendido, dificilmente um site será encontrado por buscadores como o Google – muito menos será capaz de vender online.

Planejar um site pensando em SEO pode habilitar sua empresa a competir com grandes corporações, já consolidadas na internet. Certamente é um diferencial frente a um concorrente local, que não pensou em SEO quando pediu para o “sobrinho” fazer o site dele. Plataformas para criar sites grátis podem até parecer uma solução rápida e barata em um primeiro momento. Mas a médio prazo, você vai se deparar com diversas limitações técnicas, que podem causar muita dor de cabeça. Portanto, se o que você deseja é conquistar é uma presença digital relevante e duradoura, vale a pena trilhar esse caminho.

Resumindo, estratégias de SEO são responsáveis por melhorar o posicionamento orgânico (ranqueamento) de um site, para que ele tenha mais visibilidade e receba a maior quantidade de cliques possível. E quanto mais cliques (visitas) um site recebe, maior a probabilidade de consolidar as vendas iniciadas através da internet.

Primeira página no Google

É fato que as primeiras posições do Google são as mais clicadas – e que praticamente ninguém passa para a segunda página de busca. Segundo essa pesquisa, 91,5% dos cliques ficam na primeira página do Google. A segunda fica com 4,8%, a terceira com 1,1% e a quarta página, com ínfimos 0,4% do total de cliques.

Desse montante que fica na primeira página, os resultados das primeiras posições são os que recebem a maior quantidade de cliques. Veja abaixo a média de cliques recebidos organicamente na primeira página do Google (aqueles que aparecem logo abaixo dos resultados pagos, também chamados de “links patrocinados”):

Posição no Google Taxa Média de Cliques(CTR)
1ª resultado 29.6%
2ª resultado 13.1%
3ª resultado 9.2%
4ª resultado 6.5%
5ª resultado 4.9%
6ª resultado 3.6%
7ª resultado 3.0%
8ª resultado 2.6%
9ª resultado 2.2%
10ª resultado 2.1%


Concluímos então que as três primeiras posições juntas detém
51,9% dos cliques da primeira página do Google. Portanto, se você quer receber mais visitantes, precisa estar posicionado neste seleto campo de exibição quando o seu público-alvo busca pelos produtos ou serviços oferecidos pela sua empresa. E esse trabalho exige muito conhecimento e ferramentas que auxiliam nos processos de planejamento e monitoramento. Ações fundamentais quando falamos em estratégias de SEO.

O que eu preciso saber para contratar um serviço de SEO?

Se seu objetivo é aumentar as vendas pela internet, você precisará ficar atento a alguns detalhes de desenvolvimento do seu site. Um site não otimizado, dificilmente será capaz de gerar conversões. E quando falamos em vendas pela internet, não necessariamente me refiro a uma loja virtual. Sites institucionais e sites catálogos também podem vender online. Se um site disponibiliza formulários de contato ou orçamentos, o que chegar através desses canais, certamente pode ser convertido em vendas pelo setor comercial.

Mas pra que isso funcione de forma eficiente, o site precisa ser planejado com foco nesse objetivo. Portanto, vamos começar pelo básico. É fundamental instalar ferramentas de coleta de dados como o Google Analytics, por exemplo. Caso contrário, não é possível nem mensurar a situação atual do site, nem os resultados das estratégias implementadas. Portanto, certifique-se de que seu site está coletando dados e que você tem acesso aos relatórios fornecidos pela ferramenta.

SEO On Page x SEO Off Page

O segundo passo é saber que existem dois tipos de SEO que podem ser trabalhados: o SEO On Page e o SEO Off-Page. Apesar de os dois serem muito importantes, o SEO On Page vem primeiro, pois é ele o responsável pelas otimizações dentro do site. Tendo esta informação em mãos, verifique com o parceiro que você deseja contratar se ele aplica nos projetos pelo menos as técnicas básicas de SEO On Page. Essas técnicas se referem a questões internas, como a plataforma utilizada, conteúdo, imagens, etc. São essas as funcionalidades que habilitam um site a conquistar melhores posições no Google.

Já o SEO Off-Page é responsável pelas ações fora do domínio do site. Ou seja, fatores externos que influenciam neste ranqueamento dos buscadores. Um exemplo clássico é o compartilhamento em redes sociais. Sinais de interatividade são extremamente relevantes para o Google.Também questões como a qualidade da hospedagem deste site, que impacta em velocidade de carregamento e segurança contra ataques.

Para facilitar o entendimento, vamos explorar um pouco mais os principais pontos de SEO On Page que um site precisa ter para performar bem e ser capaz de gerar vendas pela internet.

SEO On Page

O SEO On Page se refere ao desenvolvimento da estrutura interna de um site. São itens presentes dentro do endereço/domínio, que envolvem principalmente conteúdo e estruturação das páginas. Dessa forma, entendemos que tudo o que for feito dentro do ambiente do site é uma otimização On-Page. E ainda podemos dividir o SEO On Page em básico e avançado.

Existem dezenas de pontos aos quais uma consultoria de SEO deve se atentar em um projeto. Contudo, alguns tópicos, apesar de básicos e simples de resolver, não recebem a devida atenção na hora do desenvolvimento. Então, para começar um projeto digital com o pé direito, confira abaixo algumas dicas que farão com que seu site possa ser indexado mais facilmente no Google.

1. Escolha da plataforma

A escolha da plataforma com a qual você vai criar o seu site é fundamental. Hoje existem muitos serviços, inclusive gratuitos, que criam sites quase que instantaneamente. Mas nem todas as opções oferecem a possibilidade de configurações avançadas de SEO.

O ideal é pensar em uma plataforma CMS, do inglês Content Management System, Sistema de Gerenciamento de Conteúdo. Essas plataformas, além de pré otimizadas para SEO, possibilitam que o site seja responsivo. Ou seja, que se adaptam a todos os tipos de dispositivos, como desktops, notebooks, tablets e smartphones. O WordPress é um exemplo desse tipo de plataforma. Além de ser pró SEO, ainda possibilita adicionar plugins que permitem otimizações ainda mais avançadas. Fora a facilidade de gestão, pois você não depende de um programador para trocar um simples banner, por exemplo.

2. URLs Amigáveis

A URL é um dos pontos que o Google leva em consideração ao ranquear um site. É altamente recomendado que as URLs sejam o mais descritivas possível e utilizem palavras-chave relevantes. Assim, quando o Google rastrear a página, entenderá logo do que se trata o conteúdo. URLs são únicas, não sendo possível existir uma mesma em duas páginas diferentes. Portanto, pense bem ao defini-las.

Para entender a diferença entre uma URL amigável ou não, observe o exemplo abaixo:

  • URL Amigável

URL Amigável

  • URL não Amigável

URL não Amigável

Ter uma URL bem estruturada também ajuda o usuário a entender a página antes mesmo de entrar nela. Mas existem algumas regrinhas para que as URLs sejam realmente relevantes. Além de incluir a palavra-chave, evite URLs muito longas com combinações desconexas. Não utilize datas também, uma vez que você poderá atualizar o conteúdo sem trocar a URL.

Dica: As palavras devem ser separadas por hífen (-) ao invés de underline (_). Os motores de busca gostam dessas padronizações.

3. Title

É considerado um dos pontos mais relevantes no SEO On Page. O title pode ser visualizado na primeira frase que aparece quando um usuário faz uma busca no Google. Ou na aba do navegador, quando a página é aberta.

Meta title

Ela serve como título da página, responsável por informar do que se trata. Esse título deve ser breve, com 60 caracteres aproximadamente. Passando disso, ele é cortado com reticências, não apresentando o todo da mensagem que você deseja passar. Na verdade não existe uma contagem oficial  de caracteres para este item, porque o dimensionamento do espaço é feito em pixels. Mas esta é uma boa margem de segurança.

A utilização de palavras-chave é quase obrigatória, pois o Google dará mais relevância para as palavras que estiverem no title. Os títulos também devem ser únicos, não sendo replicados em outras páginas do site. Portanto, se você tem uma loja virtual (ou site catálogo), prepare-se para investir um bom tempo escrevendo títulos relevantes.

4. Meta Description

Como o próprio termo sugere, Meta Description é uma breve descrição do site. É o local ideal para convencer o usuário de que o seu conteúdo é o melhor. Neste espaço, é possível utilizar uma linguagem mais comercial e estimular o usuário a clicar no link. Apesar de não ser um fator direto de ranqueamento, uma boa description auxilia no aumento da taxa de cliques (CTR). Ou seja, estimula os usuários a clicarem. E tráfego de qualidade para o seu site, sim, é um fator de ranqueamento.

Meta Description

Assim como o title, a meta description também tem limitações de texto. O ideal é que não extrapole 160 caracteres. Mas se quiser uma margem de segurança maior, já que o Google está sempre atualizando seu algoritmo, recomendo investir em 150 caracteres.

5. Headings

Os headings são responsáveis pela organização estrutural da página. Eles indicam a hierarquia de prioridade dos conteúdos, dividindo o site em título e subtítulos. Headings são identificadas com códigos, divididos em <h1>, <h2>, <h3>, <h4>, <h5>, <h6>. Sua ordem de importância é decrescente. Sendo assim, a tag h1 é a mais importante, utilizada principalmente como título de cada conteúdo específico. As tags subsequentes serão subtítulos, que complementam a h1.

É aconselhado utilizar apenas uma h1 por página. E as demais tags podem ser utilizadas diversas vezes. Outro fator importante, é inserir as palavras-chave também nas headings, pois isso ajuda diretamente no ranqueamento do site. E, quando possível, repetir as palavras-chave principais em outras headings, o que reforça a importância desse termo dentro do contexto da página.

Exemplo de estruturação de headings:
<h1>Nome do produto
<h2>Descrição do produto
<h2>Informações técnicas do produto
<h3>Avaliações do produto

6. Imagens (alt text + title)

O Google não enxerga imagens como nós, mas possui métodos para entender o que a imagem quer dizer. O primeiro dado lido é o nome com o qual o arquivo foi salvo. Muitas pessoas não nomeiam os arquivos de imagem por acharem irrelevante. Mas se você também quer ser encontrado no Google por suas imagens, é bom começar a nomeá-las de forma relevante. Assim como as URLs, as palavras-chave do arquivo devem ser separadas por hífen.

Outra forma de fazer o Google identificar uma imagem é preenchendo as tags alt text e title, exclusivas para imagens. Alt é um texto alternativo para as imagens, com uma descrição literal do que ela representa . Esta funcionalidade também é fundamental para portadores de deficiência visual, que assim como o Google, não podem ver a imagem. Já o title, é uma descrição mais detalhada que deve complemento da tag alt.

Exemplo:
Nome do arquivo: tv-4k-samsung-50-polegadas.jpg
Alt: Televisão 4k
Title: Televisão 4k Samsung 50 polegadas

7. Conteúdo

Conteúdo é REI. Você já deve ter ouvido essa expressão em vários lugares na internet, e é real. Uma das principais atualizações do algoritmo do Google foi relacionada à qualidade dos textos dentro dos sites. O Panda (nome da atualização do algoritmo), foi responsável por “derrubar” muitos sites das primeiras posições do Google por fornecerem conteúdo pobre ou copiado.

O principal objetivo do Google é oferecer aos usuários conteúdos relevantes em suas buscas. Se algum site apresenta textos inconsistentes, ou plágios de outro lugar, certamente será punido. O Google considera que este tipo de conteúdo é irrelevante para os usuários e prefere excluir dos resultados. Dessa forma, evite copiar conteúdos ou produzi-los com baixa qualidade.

Outro fator relevante do conteúdo é o tamanho do texto. Quanto mais curtos, menos atenção recebem dos motores de busca. Segundo uma análise do Backlinko, textos com aproximadamente 1.890 palavras costumam ocupar as primeiras posições no Google. Portanto, capriche quando for escrever, pense bem nas necessidades do seu cliente e na forma como seu serviço ou produto podem ajudá-lo.

8. Compartilhamento em redes sociais

Um outro fator extremamente relevante para o Google são sinais sociais. Resumindo, engajamento. Portanto, é fundamental que o site possa ser compartilhado na web de forma simples e rápida. A divulgação de um site é fator essencial para SEO Off-Page. Mas é importante que esse compartilhamento possa ser feito de dentro do próprio site. Então, é fundamental pensar nos botões de compartilhamento.

Se você optar por uma plataforma CMS, provavelmente ela contará com plugins prontos para serem instalados. Insira estes botões em locais estratégicos e fáceis de visualizar. Alguns locais são mais indicados, como logo acima do conteúdo, no final de um texto, ou na sidebar – que acompanha o usuário enquanto ele desce a página. Utilize CTAs (Call to Action) que incentivem os usuários a compartilharem os conteúdos. E se você for realmente relevante, eles irão compartilhar!

9. Sitemap.xml

Por último, mas não menos importante, o Sitemap.xml. Esse arquivo é responsável por mapear todas as URLs do site, facilitando a leitura dos robôs do Google. Quando você tem a possibilidade de criar e enviar um Sitemap.xml, aumenta as chances do buscador encontrar e catalogar todas as suas páginas. Ele é importante principalmente quando um site não possui uma linkagem interna padronizada, dificultando a navegação.

E, novamente, se você optar por utilizar uma plataforma CMS, certamente ela contará com plugins que geram o Sitemap.xml. É possível encontrar sitemaps específicos para cada finalidade dentro de um site, e existem Sitemaps.xml específicos para posts, páginas, imagens e vídeos.

Um pouco mais sobre SEO On Page

Além dos itens citados acima, ainda temos muitos pontos a serem trabalhados em um projeto de SEO. Mas estas são questões mais avançadas. Como o servidor onde o site está hospedado, que influencia muito na velocidade e segurança do site. A compactação (cache) de arquivos de JavaScript, CSS e imagens também são fundamentais para deixar os arquivos mais leves e o site mais rápido.

Outro ponto importante são os redirecionamentos de URL. Lembra quando disse pra você se preocupar com as URLs? Pois é! Se por acaso você criou um site com URLs não amigáveis e quiser deixá-las amigáveis, você vai precisar fazer o que chamamos de redirect 301. Ou seja, você pega o endereço da URL antiga e redireciona ela para o endereço novo. Assim, o Google vai entender que a nova página na verdade é a antiga, mas melhorada. Se esse processo não for feito, além de perder o ranking que a página tinha conquistado, ela irá apresentar um erro informando que a página não existe, o famoso 404.

Erro 404 é a resposta que o servidor dá quando uma página que existia mudou de URL ou foi removida permanentemente. Normalmente este erro acaba fazendo com que as pessoas fechem a aba do navegador e sigam em frente na sua busca. Mas é possível convencer este usuário a ficar, se você tiver uma página 404 otimizada. Quando eu digo otimizada, quero dizer que ela deve ser atrativa e oferecer ao usuário a possibilidade de continuar navegando no site, como nesse exemplo abaixo.

Página de Erro 404 Submarino

Segurança em primeiro lugar

Outro fator que se tornou ponto de “desempate” no ranqueamento, é a utilização de um SSL – Secure Sockets Layer. Esta ferramenta é responsável pela encriptação dos dados armazenados dentro das páginas antes de serem disseminadas pela internet, ou seja, pela segurança do site. Antigamente o SSL só estava presente em lojas virtuais, que aceitam pagamentos via cartão de crédito. É essa criptografia que impede que seus dados sejam “roubados” caso hackers ataquem sites aos quais você forneceu dados pessoais. Mas recentemente, o Google informou que qualquer tipo de site com SSL receberá pontos de ranqueamento. Então, por que não?

Para saber se um site tem ou não um SSL, basta olhar no endereço do navegador. Se contém, haverá a informação de HTTPS antes do domínio, como no exemplo abaixo:

Certificado SSL

E se você acha que SEO para por aí, se enganou. Ainda é possível ir muito mais longe com o SEO Off Page. Ai sim entramos em um submundo muito mais profundo. SEO Off Page envolve diversas ações externas ao site, como compartilhamentos, análise e monitoramento de palavra-chave, análise de concorrência, análise de backlinks e uma infinidade de outras questões. Mas isso já é assunto para um próximo post.

Conclusão

Então, se seu objetivo é aumentar as vendas pela internet, obrigatoriamente você precisa estar nas primeiras páginas do Google. É claro que através de campanhas de Links Patrocinados você pode conquistar isso com mais facilidade, em um curto tempo. Mas quando você investe em SEO, a tendência é que com o tempo, seu site suba nas páginas de buscas e não seja necessário investir tanto em compra de mídia.

Portanto, se o que você realmente deseja é conquistar uma presença digital relevante e duradoura – e, principalmente, aumentar as vendas pela internet, está na hora de pensar seriamente em SEO. #FicaDica.


Você também pode gostar de ler:

Crise nas Redes Sociais

Checklist: 6 dicas para lidar com uma crise nas Redes Sociais

Mídias Sociais

5 Coisas que as Pessoas Não Sabem Sobre as Mídias Sociais

Canibalização de Palavras Chave

Canibalização de palavras-chave: O que é e como evitar